As notas fiscais fazem parte da rotina de qualquer empresa. São elas que registram todas as transações de compra e venda, bem como os impostos que incidem sobre essas operações. É por isso que estão entre os documentos fiscais mais importantes para qualquer organização, mas, para gerenciá-los corretamente, é necessário conhecer quais são os principais tipos de notas fiscais.

Os modelos de notas fiscais se diferenciam, principalmente, em razão do tipo de operação realizada, do receptor do documento e dos tributos a serem recolhidos. Dependendo da sua área de atuação, pode ser necessário trabalhar com mais de um tipo de nota. Para entender melhor qual modelo é o mais adequado para a realidade da sua empresa, leia nosso artigo até o fim e conheça as características dos 6 principais tipos de notas fiscais!

1. Nota Fiscal eletrônica (NF-e)

Nota Fiscal eletrônica (NF-e) é um documento fiscal eletrônico, emitido e armazenado em ambiente digital. Ela é utilizada para registrar as transações de circulação de mercadorias ou de prestação de serviços, entre empresa e cliente. O uso da nota fiscal eletrônica tem gerado inúmeros benefícios, tanto para vendedores e compradores quanto para o fisco. A principal vantagem está na facilidade de emissão e controle por todas as partes envolvidas.

Para empresas emissoras da NF-e, podemos citar os seguintes benefícios:

  • redução de custos com aquisição de papel e impressão do documento;
  • redução de custos com armazenamento de notas fiscais;
  • adoção do Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED), que compreende todo o processo de organização, armazenamento, acesso e gestão às notas fiscais;
  • simplificação no cumprimento obrigações acessórias;
  • diminuição do tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira;
  • Facilita o fechamento mensal que sua contabilidade realiza.

2. Nota fiscal do consumidor eletrônica (NFC-e)

Assim como a NF-e, a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) é um documento eletrônico, emitido e armazenado em ambiente digital. O que muda é o propósito: a NFC-e serve para documentar as transações de venda, presencial ou para entrega em domicilio, destinada ao consumidor final (pessoa física ou jurídica).

Para empresas emissoras, temos como vantagens:

  • redução de custos com equipamento e impressora fiscais;
  • dispensa de homologação de hardware ou software;
  • simplificação no cumprimento de obrigações acessórias;
  • dispensa do interventor técnico;
  • diminuição de custos com papel;
  • possibilidade de expandir pontos de venda sem necessidade de autorização do Fisco;
  • permissão para impressão de documento auxiliar simplificado ou de geração por mensagem eletrônica, a critério do consumidor;
  • integração de plataformas de vendas físicas e virtuais.
  • Ideal para vendas rápidas no próprio caixa ou balcão.
  • Facilita o fechamento mensal que sua contabilidade realiza.

3. Nota Fiscal de Serviços eletrônica (NFS-e)

A Nota Fiscal de Serviços eletrônica (NFS-e) é um documento fiscal eletrônico que deve ser emitido por prestadores de serviços, atendendo às exigências fiscais dos municípios. Sua principal finalidade é registrar informações que serão usadas para apurar e recolher o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Os emissores da NFS-e são favorecidos com os seguintes benefícios:

  • redução de custos com aquisição de papel e impressão do documento;
  • redução de custos com armazenamento de notas fiscais;
  • adoção do Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED), que compreende todo o processo de organização, armazenamento, acesso e gestão às notas fiscais;
  • simplificação no cumprimento de obrigações acessórias;
  • acesso automático da guia de recolhimento pela internet;
  • possibilidade de envio da NFS-e por e-mail;
  • dispensa da realização da escrituração dos livros contábeis relativos à apuração do ISSQN;
  • dispensa da Declaração de Informações Econômico-Fiscais (DIEF).
  • Facilita o fechamento mensal que sua contabilidade realiza.

4. Conhecimento de transporte eletrônico (CT-e)

O Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) segue, basicamente, as mesmas características da NF-e. A diferença está no fato de que esse tipo de nota tem o objetivo de documentar, para fins fiscais, a ocorrência de prestação de serviço de transporte de cargas realizada por qualquer modal (rodoviário, aéreo, ferroviário, aquaviário e dutoviário).

Observe que apresenta, rigorosamente, as mesmas vantagens da NF-e:

  • redução de custos com aquisição de papel e impressão do documento fiscal;
  • redução de custos de armazenagem de documentos fiscais;
  • adoção do Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED), que compreende todo o processo de organização, armazenamento, acesso e gestão às notas fiscais;
  • simplificação no cumprimento de obrigações acessórias;
  • diminuição do tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira;
  • estímulo ao comércio eletrônico envolvendo a relação “empresa à empresa” (B2B).

5. Documento auxiliar de nota fiscal eletrônica (DANFE)

O Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE) nada mais é do que a representação gráfica da NF-e. Ele é necessário por cumprir com as seguintes exigências:

  • registrar a chave de acesso, que é um código numérico usado para verificar dados da NF-e;
  • justificar o trânsito das mercadorias contratadas, conforme dados apresentados no documento;
  • facilitar o processo de escrituração das transações registadas NF-e, que deve ser realizado por receptores do documento fiscal que não sejam credenciados para emissão da NF-e.
  • Facilita o entendimento resumido de todas as informações inseridas na NF-e.

6. Manifesto de Documentos Fiscais eletrônicos (MDF-e)

O Manifesto de Documentos Fiscais eletrônicos (MDF-e) é uma nota usada para facilitar o processo de registro do transporte de cargas. Ele foi criado com o objetivo de substituir o processo impresso de geração dos documentos Manifesto de Carga Modelo 25 e a CL-e (Capa de Lote eletrônica).

Assim, o MDF-e é exigido de todas as empresas prestadoras de serviços de transporte e também das que usam veículos próprios, dispensando a contratação de frotas por arrendamento, serviços que costumam ser oferecidos por transportadores autônomos.

O MDF-e gera os seguintes benefícios para as empresas emitentes:

  • redução de custos com aquisição de papel e impressão do documento fiscal;
  • redução de custos de armazenagem de documentos fiscais;
  • adoção do Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED), que compreende todo o processo de organização, armazenamento, acesso e gestão às notas fiscais;
  • aprimoramento da gestão de cargas:
  • diminuição do tempo de fiscalização nas vias;
  • acompanhamento online e em tempo real da prestação de serviços de transporte de cargas.

Agora que você conhece os 6 principais tipos de notas fiscais, já está pronto para gerenciá-los corretamente, adotando os mais apropriados de acordo com os diferentes contextos e necessidades da sua empresa.

Gostou deste conteúdo? Para se manter sempre atualizado, assine agora mesmo a nossa newsletter e receba mais conteúdos gratuitamente no seu e-mail!

Categorias: Adminsitração

Renan Mesquita

Analista de Marketing e Designer de Experiência do Usuário, aqui na Digisan sou responsável por trazer um conteúdo de qualidade para os nossos leitores e por desenhar uma experiência UAU para os nossos clientes ao consumirem o nosso produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *