Powered by Rock Convert

Você tem o sonho de abrir o próprio negócio? Seja para garantir a tão sonhada independência financeira, tornando-se seu próprio patrão ou para tirar aquele sonhado plano do papel, o empreendedorismo tem se mostrado uma alternativa viável de mudar de vida para diversos brasileiros, mesmo diante da crise. 

Os números não mentem: de acordo com dados da Receita Federal, o ano de 2021 surpreendeu com o aumento em 35% na criação de novas empresas (se comparadas com o mesmo período em 2015). 

Ainda que boa parte da abertura desses negócios tenha sido motivada pela falta de oportunidades no mercado de trabalho, a abertura de uma empresa pode ser um excelente investimento no médio e longo prazos, se for feito de maneira organizada

Neste artigo você vai encontrar dicas e sugestões para começar uma empresa do zero. 

Acompanhe! 

Como começar uma empresa do zero?

Uma das principais razões responsáveis pela desistência de potenciais futuros empreendedores é a temida burocracia. Não vamos mentir para você, o processo tem, sim, muitas etapas. Porém, não é nem de perto o bicho de sete cabeças que muitas pessoas acreditam ser.

Confira abaixo uma síntese das etapas necessárias para começar uma empresa do zero:

1. Decida o tipo de empresa que você vai abrir 

Ainda não estamos falando diretamente sobre o tipo de produtos ou serviços que você vai oferecer no seu negócio. Aqui, a escolha deverá ser mais estrutural e em três aspectos fundamentais, ou seja: Porte da Empresa, Regime Tributário e Formato Jurídico. 

Veja um pequeno resumo sobre cada um deles abaixo: 

👉 Porte da empresa 

O porte da empresa diz respeito ao faturamento estimado do seu negócio. A próxima pergunta que costuma surgir é: como vou fazer o faturamento de um negócio que nem existe ainda? 

Bem, para isso será necessário realizar uma previsão de faturamento, baseada nos dados contábeis e financeiros já disponíveis. Nesse sentido, contar com a ajuda de um contador poderá facilitar muito o processo. 

Assim, caso o faturamento estimado fique restrito a até R$ 360 mil por ano, há a possibilidade de enquadramento como Microempresa (ME). Se passar disso, já se enquadra no limite de R$ 4,8 milhões e passa a ser uma Empresa de Pequeno Porte (EPP). 

👉 Regime Tributário 

Talvez uma das escolhas mais importantes para os futuros empreendedores, o regime tributário indicará como e quais tributos deverão ser pagos pela sua empresa. 

O Simples Nacional costuma ser o regime tributário preferido, devido às suas facilidades na hora de pagar os impostos que são emitidos em uma única guia, o DAS. 

O regime tributário está diretamente ligado ao porte e faturamento da sua empresa. Tenha em mente que é possível alterá-lo, mesmo depois que sua empresa tiver sido criada. 

A decisão pode partir tanto de você (com o intuito de motivar o crescimento da empresa), quanto pelo próprio crescimento natural do negócio. 

Saiba mais sobre o Simples Nacional, o regime tributário facilitado para pequenas empresas!

👉 Formato Jurídico 

Você vai ingressar no mundo dos negócios sozinho ou contará com a ajuda de sócios? A definição do formato jurídico irá levar não apenas isso em consideração, como também a possível exigência de recursos mínimos para enquadramentos. 

Os 4 modelos mais conhecidos são: Empresário Individual, EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada), SLU e Sociedade Limitada.

2. Reúna os documentos necessários 

Depois de decidir não só os três pontos acima, como também outras questões essenciais, como nome, localização do negócio e serviços a serem oferecidos, você deverá reunir documentos pessoais e da futura empresa para dar prosseguimento ao processo. 

Na lista de documentos pessoais, estão:

  • Cópia autenticada do RG e CPF.
  • Comprovante de residência.
  • Última declaração do Imposto de Renda (IR).
  • Certidão de casamento (caso se aplique).

Já na lista de documentos da empresa:

  • Nome fantasia da empresa.
  • Descrição de atividades.
  • Cópia do IPTU onde o negócio irá operar.
  • Comprovante do endereço comercial (caso seja diferente do residencial). 

3. Faça os registros necessários 

Com todos os documentos em mãos, é hora de começar uma pequena jornada que vai incluir a Junta Comercial da sua Cidade, Prefeitura ou Secretaria de Fazenda

O processo pode variar de estado para estado, contudo o princípio costuma ser basicamente o mesmo.

Veja abaixo um resumo de locais que você precisará visitar e quais registros realizar: 

    1. Junta Comercial: aqui você poderá garantir o Contrato Social da empresa (que é basicamente como uma certidão de nascimento) e o registro para o pedido do CNPJ.
    2. Site da Receita Federal: Com o carimbo NIRE obtido na Junta Comercial, você poderá adquirir o seu CNPJ de maneira eletrônica. A depender do estado, a Inscrição Estadual também poderá vir acompanhada do CNPJ.
    3. Prefeitura ou órgão governamental municipal: Irá conceder o alvará de funcionamento, para garantir que as atividades possam ser exercidas de forma segura. Em casos assim, se o estabelecimento não tiver passado por vistoria, é necessário realizá-la. 
  • Secretaria de Fazenda: de posse de todas as documentações obtidas nas etapas anteriores, você poderá solicitar a sua Inscrição Estadual na Secretaria de Fazenda. Esse é o registro formal da empresa. 

Pronto! Com os registros e documentação em mãos, você poderá iniciar o seu negócio. Vale lembrar que o Cadastro na Previdência Social deve ser feito em até 30 dias após o início das atividades do seu negócio. 

Dicas para começar uma empresa do zero

Agora que já cuidamos da parte burocrática, é hora de conferir as principais dicas para se começar uma empresa do zero com o pé direito. Veja! 

1. Conheça o mercado 

Não basta ter uma ideia genial: é preciso compreender se ela se encaixa no mercado em que você pretende introduzi-la. Não adianta iniciar um negócio de cervejas artesanais, por exemplo, em uma cidade onde as pessoas não tenham costume de tomar cerveja. 

Powered by Rock Convert

Você pode iniciar suas buscas pela internet, utilizando dados de pesquisas realizadas ou ferramentas de procura online, como o Google Trends, por exemplo. Uma outra maneira é realizar enquetes e estudar seus futuros concorrentes. 

Em quais estratégias eles apostam? Onde são mais prósperos? Quais são as suas principais ações? Tudo isso pode te ajudar na criação de bases mais seguras para o seu negócio. 

Também é importante imaginar qual será o tipo de cliente que você pretende atingir e por que o seu produto seria escolhido. 

2. Elabore um plano financeiro 

A falta de planejamento financeiro está entre as principais causas de falência de novos negócios: no início, o otimismo “vamos arranjar um jeito de fazer funcionar”, pode acabar resultando em muitas frustrações e dívidas. 

Por isso, mesmo antes que sua empresa tenha aberto as portas, coloque todos os possíveis gastos no papel, assim como o capital inicial (que você investirá para iniciar) e as estimativas de faturamento. 

A formulação de um bom plano financeiro nem sempre é simples e, por isso, talvez seja importante contar com ajuda qualificada. Então, estamos diante da nossa próxima dica. 

3. Tenha um contador com você desde o início 

Não há mistério: quando a base é bem construída, o negócio tem muito mais chances de prosperar.

A ajuda do contador pode parecer um gasto adicional no princípio, mas irá facilitar (e simplificar) também muito dos processos envolvidos na abertura da sua empresa. 

Ele também poderá te aconselhar sobre decisões importantes a serem tomadas como o formato jurídico, porte da empresa e regime tributário. 

Muita gente ainda tem essa dúvida: toda empresa é obrigada a ter contador? Neste artigo a gente traz a resposta!

4. Separe as finanças pessoais das contas da empresa 

O que pode parecer como algo prático no início (ter todas as suas receitas em uma só conta), pode resultar em graves casos de confusão patrimonial, limites de crédito e até mesmo multas para o seu negócio. 

Por isso, busque criar uma conta PJ para a sua empresa o mais rápido possível. A contabilidade futura do seu negócio irá agradecer. 

Em nosso Blog a gente também tem conteúdo ensinando como fazer isso. Veja neste artigo como separar as contas pessoais do caixa da empresa!

5. Invista em Marketing Digital 

Se antes já estávamos nos tornando cada vez mais digitais, com a chegada da pandemia e as mudanças que isso trouxe, um negócio agora é OBRIGADO a ter uma presença online para prosperar. 

Basta pensar assim: o princípio do marketing diz que é preciso estar presente onde cliente está, e hoje a maioria deles está na online. Por isso, é importante que seu negócio não apenas tenha um site institucional estático, como também presença online.

Isso quer dizer interagir com seus clientes e postar conteúdos relevantes para que você possa ser “compartilhado” e atingir um número ainda maior de pessoas. 

6. Estabeleça objetivos 

Para que sua empresa possa crescer de maneira constante e saudável, uma boa prática é sempre estabelecer metas e objetivos. Apesar de parecer algo supérfluo, esse movimento motiva você e os seus funcionários a não caírem na rotina, buscando sempre melhorar os serviços. 

Porém, cuidado com os objetivos impossíveis!

Se você criar metas excessivamente ambiciosas, o plano pode acabar se voltando contra você e resultando em um ambiente sobrecarregado e tenso de trabalho com poucos resultados reais. 

7. Automatize

Soluções tecnológicas foram inventadas para facilitar a vida – inclusive dos empreendedores – e os bons negócios devem usar esse aspecto a seu favor. 

Ao contar com sistemas de gestão contábil e emissores especializados de notas fiscais, por exemplo, você garante maior segurança nos seus documentos, diminui a ocorrência de erros e evita ficar refém de sistemas gratuitos que não oferecem suporte ou garantia de emissão rápida. 

Mas será que vale a pena investir em automatização desde o início?

A resposta para essa pergunta é sim, afinal, o movimento acaba tendo de ser feito uma hora ou outra e, devido ao tempo de operação sem a automatização, pode demorar bem mais para uniformizar todos os processos. 

Conheça 10 vantagens da DIGISAN para a emissão de NF-e! 

Comece sua empresa com o pé direito: conte com a DIGISAN! 

Esperamos que com essas 7 dicas para começar uma empresa do zero você esteja agora bem mais orientado – e animado – para finalmente tirar esse sonho do papel.

Para isso, conte com um bom emissor a geração de notas fiscais, armazenamento e envio de arquivo de XML de forma eletrônica, automática, ágil e segura. Na correria do dia a dia, isso fará muita diferença, agilizando os processos e evitando dores de cabeça.

A DIGISAN é referência em soluções tecnológicas, oferecendo diversos serviços, como certificação digital, emissor de notas fiscais, parcerias com contadores, entre outros.

Caso a sua contabilidade seja uma parceira DIGISAN, ela também sai ganhando, já que vai poder usar nosso emissor gratuitamente.

Quer saber como emitir NF-e e NFC-e de forma ilimitada e barata? Clique no botão abaixo e peça seu teste grátis de 7 dias!

QUERO MEU TESTE GRÁTIS DO EMISSOR DIGISAN!

como reduzir os custos durante a crisePowered by Rock Convert

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Faça o download deste conteúdo ao final do post.