Powered by Rock Convert

Um dos principais segredos para se ter uma empresa de sucesso é garantir o acompanhamento próximo e organizado das informações financeiras, interpretando indicadores e propondo soluções para eventuais problemas. 

Nesse sentido, o fluxo de caixa será sempre seu principal aliado, já que ele registra – ou deveria registrar – todas as todas as movimentações financeiras da empresa. 

Quando bem executado, o fluxo de caixa pode fornecer informações rápidas e objetivas sobre a saúde financeira do seu negócio. 

Mas e quando o processo não é realizado da maneira correta? 

Pensando nesses casos, listamos neste artigo os principais erros no fluxo de caixa e como evitá-los.

Acompanhe!

Principais erros no fluxo de caixa e como evitá-los

1. Não lançar todas as movimentações 

Conhece o famoso “amanhã eu faço isso?”. Para garantir um fluxo de caixa fiel à realidade da sua empresa, esse hábito precisa desaparecer. 

Afinal, sempre há muito o que fazer durante o dia, e o risco de acabar se esquecendo de um lançamento pode impactar suas contas no final do mês: tanto para mais, quanto para menos. 

Se você acha que o problema não é tão sério assim, porque só deixa para depois os pequenos lançamentos, cuidado! Todo o centavo faz diferença ao fazer a gestão financeira e contábil de um negócio. 

💡 Como resolver? 

Criar novos hábitos leva tempo. Por isso, no início da sua jornada para garantir um controle de caixa mais eficiente, faça lembretes e reserve um horário no final do dia apenas para conferir e garantir que todos os lançamentos foram feitos. 

Se um colaborador for o responsável pela demanda, permita que ele tire alguns minutos para realizar a tarefa antes do final do expediente. É uma prática importante que fará toda a diferença a longo prazo. 

A gestão contábil de uma empresa é um aspecto fundamental. Confira neste artigo 5 dicas para melhorar esses processos aí no seu negócio!

2. Realizar todas as tarefas manualmente

Se você leu o item anterior e logo pensou: “nossa, mas isso vai demorar muito tempo”, pode ser que seu negócio ainda seja essencialmente baseado em tarefas manuais. 

Isso, na prática, quer dizer que você e seus colaboradores ainda investem muito tempo na realização de tarefas burocráticas e repetitivas, que poderiam ser otimizadas com o uso da tecnologia. 

Além de demorar mais, realizar o controle do fluxo de caixa dessa maneira também aumenta as chances de erros. Afinal, somos seres humanos, e o cansaço pode trazer desatenção. 

💡 Como resolver? 

A tecnologia está aqui para ajudar e otimizar resultados. Por isso, considere os benefícios que soluções tecnológicas podem trazer para o seu negócio. 

Com um software de gestão financeira, por exemplo, cada lançamento é feito de maneira mais rápida e pode ser integrado com um sistema de emissão de notas fiscais eletrônicas

Isso não é possível com um emissor de NF-e gratuito, que não é nada seguro para garantir uma boa emissão e armazenamento dos seus documentos fiscais. 

Conheça 10 vantagens da DIGISAN para emissão de NF-e 

3. Não categorizar lançamentos 

Não basta apenas registrar uma entrada ou saída: para garantir um bom fluxo de caixa é importante que cada lançamento seja categorizado, podendo ser rapidamente rastreado. 

Por exemplo: vamos supor que sua conta de internet tem vindo muito cara, mas o desempenho não está à altura. 

Todo mês você lança a despesa, mas por falta de categorização e em meio a tantos outros números, fica difícil identificar que é a internet cara que está causando um desequilíbrio e que por isso deve ser trocada. 

Não confie só na sua memória: por melhor que ela seja, a correria do dia a dia pode (e muito provavelmente) fará com que você esqueça dos detalhes. 

💡 Como resolver?

Crie o hábito de indicar a natureza de cada uma das entradas e saídas. Esse processo pode se tornar ainda mais simples com a automatização das rotinas, já que softwares hoje possibilitam a utilização rápida de marcadores e categorização automática. 

4. Cuidado com previsões 

Contar com um pagamento ou vender um produto parcelado são realidades que raramente podem ser evitadas no contexto empresarial. 

Afinal, flexibilização nas vendas melhora as relações e pode, no longo prazo, resultar em ainda mais lucros. Isto é, desde que esse processo seja organizado. 

Ao registrar entradas que ainda não aconteceram no seu fluxo de caixa, você corre o risco sério de desbalancear as suas contas. 

Basta pensar o seguinte: o único dinheiro certo e válido para a formulação de um fluxo de caixa é aquele que já está na conta da empresa. 

💡 Como resolver?

Faça lançamentos no fluxo de caixa APENAS depois de receber o pagamento. Para evitar imprevistos, também é importante marcar o prazo para o pagamento de parcelas de produtos pelo menos 10 dias antes da quitação das contas da empresa

Powered by Rock Convert

Assim, você tem um espaço de tempo para reagir e solucionar o problema (antes do vencimento das contas), caso os pagamentos não aconteçam. 

5. Não separar despesas pessoais das empresariais 

Apesar de ser algo muito falado, esse erro ainda atrapalha a vida de muitos empresários, especialmente os donos de pequenos negócios.

Se você é o dono do negócio, não há problema algum em utilizar o dinheiro da empresa para fins pessoais, desde que reponha depois. Certo? 

Não é bem assim… 

Por mais que o processo comece organizado, com o passar tempo pode ter certeza de que os problemas começarão a surgir. Apelidada de confusão patrimonial, essa prática pode bagunçar não só o fluxo de caixa como uma série de processos dentro da empresa e até  sua própria vida pessoal

Afinal, se as contas estiverem juntas, então todos os gastos e receitas da empresa vão acabar constando no seu imposto de renda pessoa física. Ou seja, mais coisas a declarar. 

Além disso, sem uma conta de pessoa jurídica, seu negócio não pode usufruir de linhas de crédito específicas e outros benefícios

Por fim, toda essa confusão “inofensiva” pode resultar em declarações tributárias incorretas e muitos problemas com a Receita Federal. Por isso, é sempre melhor evitar. 

💡 Como resolver?

Separe e organize. Mantenha as contas pessoais em sua conta pessoa física, e o dinheiro da empresa em um conta de pessoa jurídica. 

Assim, mesmo que você precise retirar eventualmente dinheiro de lá para resolver uma emergência, a operação ficará devidamente registrada no seu fluxo de caixa, sem prejuízos para a gestão financeira da sua empresa. 

Nota importante: evite retirar dinheiro da sua empresa, a não ser que seja estritamente necessário! Recorrer a essa prática com frequência pode deixar seu negócio vulnerável e sem reservas de dinheiro para emergências. 

Neste outro artigo, você confere mais dicas e sugestões de como separar as contas pessoais do caixa da empresa!

6. Não interpretar as informações do seu fluxo de caixa 

Se você seguiu todos os passos até aqui, mas não tem a menor ideia de como pode utilizar o fluxo de caixa para melhorar a situação da sua empresa, pode ser que falte conhecimento sobre contabilidade e gestão financeira. 

Nesse caso, o fluxo de caixa perde grande parte do seu propósito, não sendo capaz de contribuir para o crescimento da sua empresa. 

💡 Como resolver?

Busque conhecer o básico sobre contabilidade e gestão financeira, mesmo que você decida contratar um contador para ajudar nas contas. 

Esses conhecimentos vão ajudá-lo não só a enxergar os indicadores do fluxo de caixa com mais clareza como também possibilitar uma comunicação mais efetiva com o seu contador. 

Por exemplo, você sabe o que é liquidez corrente? Esse indicativo representa o valor que a empresa tem para receber em curto prazo, comparado a quanto precisa pagar. Importante, não é? 

Quer começar a aprender sobre contabilidade agora mesmo? Confira neste artigo uma lista com vários termos contábeis que todo empresário precisa conhecer!

7. Não utilizar o fluxo de caixa para tomar decisões 

O objetivo final de um bom fluxo de caixa é possibilitar o crescimento da sua empresa. Por essa razão, precisa estar o mais claro e fiel possível. Contudo, nada muda se você apenas registrar e não buscar por soluções

Utilize as informações para formular planos de curto, médio e longo prazos para a sua empresa. Lembre-se: a falta de planejamento é fatal para qualquer empresa. Nunca vale a pena apostar apenas na sorte. 

💡 Como resolver?

Se você tem dificuldades com gestão financeira, busque conversar com o seu contador sobre as possíveis estratégias a serem tomadas. 

Com a Contabilidade Consultiva ganhando cada vez mais espaço, esse contato será muito bem recebido e você poderá colher os frutos de um bom diálogo com um profissional especializado em Ciências Contábeis. 

Ele te ajudará a perceber quais técnicas estão funcionando, quais não estão e o que fazer a partir dali. 

Fluxo de caixa mais eficiente? Conte com a DIGISAN! 

Durante o artigo você conheceu os principais erros no fluxo de caixa e como evitá-los. Além disso, pôde também perceber o quão importante a automatização de processos pode ser para o seu negócio. 

Com o emissor da DIGISAN você garante a gestão mais simples, fácil e segura das suas notas fiscais e certificados digitais. Chega de sofrer com os sistemas instáveis de emissores gratuitos! 

A DIGISAN é referência em referência em soluções tecnológicas, oferecendo diversos serviços, como certificação digital, emissor de notas fiscais, parcerias com contadores, entre outros. 

Nossos planos possuem diversos valores – todos muito acessíveis – pensados para caber confortavelmente no fluxo de caixa positivo de qualquer empreendedor! 

Quer saber como emitir NF-e e NFC-e de forma ilimitada e barata? Clique no botão abaixo e peça seu teste grátis de 7 dias!

QUERO MEU TESTE GRÁTIS DO EMISSOR DIGISAN!

Categorias: Gestão Contábil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Faça o download deste conteúdo ao final do post.