Powered by Rock Convert

Fim de ano chegando, e você que tem uma empresa já deve estar preparando seu caixa para as despesas de fim de ano.

Pagamento de 13º, férias, abono, festa de confraternização ou algum brinde aos funcionários são despesas que precisam estar previstas para que você não comece o ano novo com seu caixa já apertado.

Com organização e planejamento, fica mais fácil cumprir todas as obrigações de fim de ano e entrar janeiro com as contas em dia. Quem já tem como hábito fazer seu fechamento mensal sabe exatamente de quanto pode dispor, mas os mais desatentos correm o risco de extrapolar e acabar no vermelho.

Para que você evite esse tipo de problema, preparamos algumas dicas práticas para ajudá-lo em seu planejamento financeiro de fim de ano. 

Acompanhe o artigo e descubra como equilibrar as contas neste período de tantos gastos.

Comece a preparar seu caixa

Avalie suas contas mensais

Como anda a saúde financeira da sua empresa? Você sabe exatamente qual o seu faturamento e seu lucro? Conhecer esses números é essencial para planejar suas contas, especialmente nesta reta final do ano, quando você sabe que as despesas sempre são maiores.

Analise com critério seus custos fixos e variáveis e veja se é possível reduzi-los. E, neste momento, vale negociar melhores condições com fornecedores, renegociar contratos, tudo o que for possível fazer para abrir mais espaço no seu caixa.

Faça uma reserva para o 13º

A folha de pagamento de fim de ano é uma das principais preocupações dos empresários, pois, além dos salários regulares, é preciso incluir na conta o 13º dos funcionários.

Para evitar apertos na hora de pagar o benefício, o ideal é ter uma reserva destinada exclusivamente a essa finalidade, de preferência com depósitos realizados durante todo o ano.

Se você já se planejou e fez uma reserva para esse extra, pode pagar uma parcela única até 30 de novembro, desafogando os custos de dezembro e ainda marcando pontos com seus funcionários.

Caso não seja possível, a alternativa é dividir o 13º em duas vezes, pagando a primeira parcela até 30 de novembro, e a segunda até 20 de dezembro.

Planeje a confraternização da empresa

Fim de ano é a época da famosa “festa da firma”.

Apesar de ser um momento importante de integração da equipe, isso também acaba gerando mais despesas para seu caixa. Por isso, ter planejamento ajuda a garantir a satisfação dos colaboradores sem descontrolar seus gastos.

Você não pode deixar calcular a quantidade de pessoas, se elas poderão trazer acompanhantes ou não, se sua empresa vai oferecer brindes, se vai limitar o consumo de bebidas alcoólicas, tudo isso são detalhes importantes para seu planejamento (e seu orçamento).

Organize os pagamentos no recesso de fim de ano

Muitas empresas concedem férias coletivas aos funcionários no fim de ano e, por isso, precisam preparar o caixa para o período de interrupção das atividades.

Como a equipe financeira não terá expediente, fique atento ao calendário de suas contas e veja quais precisarão ser adiantadas por coincidir com o recesso.

Lembre-se: atrasar contas acaba gerando multas e juros, e tudo o que você não precisa é ter mais despesas em janeiro.

Não exagere no estoque

Mesmo que haja uma boa expectativa de aumento de vendas no período de fim de ano, não deixe que o entusiasmo o faça perder o controle de seu estoque.

É claro que pode ser necessário aumentar a quantidade de alguns produtos, mas faça essa análise com os pés no chão.

Leve em conta, por exemplo, se sua empresa dará férias coletivas no final do ano. Nesse período, não haverá movimentação, e produtos parados no estoque não são uma boa opção para quem quer as contas equilibradas.

Além do mais, você estará gastando agora com algo que não terá saída imediata, quando poderia destinar melhor esses recursos para despesas que você sabe que terá no fim do ano.

Cobre clientes inadimplentes

Se está difícil receber os pagamentos em dia, aproveite que seus clientes terão um dinheiro extra com a entrada do 13º e promova uma ação de cobranças para tentar resolver a situação.

Oferecer benefícios, como uma revisão dos valores ou redução de juros para quem quitar o saldo total da dívida, pode ser interessantes para os dois lados: você aumenta sua receita e o cliente recupera o crédito para as compras de fim de ano.

Planeje-se para o próximo ano

Assim como em dezembro, janeiro também traz uma série de despesas que pedem um bom gerenciamento do fluxo de caixa das empresas, incluindo impostos e férias de funcionários.

Então, ao planejar seu fim de ano, pense também nos encargos que abrirão o ano seguinte.

Se você terminar o ano com as contas no vermelho, terá problemas sérios quando começarem a chegar os compromissos do ano seguinte.

Mesmo que haja uma previsão de aumento da receita com as festas de fim de ano, mantenha os gastos dentro do orçamento.

Saúde financeira o ano todo

Embora a preocupação com as contas seja maior no período de fim de ano, a boa gestão financeira deve ser uma meta constante durante o ano todo.

Organizar, planejar e administrar com critério o dinheiro que entra e sai da empresa é a melhor forma de preparar o caixa para despesas previstas, como férias e 13º, mas também para imprevistos, como um acerto trabalhista por demissão.

Para ter esse controle, é fundamental conhecer a fundo suas receitas e despesas, e esse acompanhamento fica mais simples e confiável a partir da gestão de suas notas fiscais, pois isso te dá um panorama real da situação financeira de sua empresa.

Com o emissor de NF-e da DIGISAN, você gerencia seu fluxo de caixa com mais segurança e toma decisões mais acertadas.

Para fazer um teste gratuito com o nosso emissor, acesse o site e solicite sua avaliação!

Veja também:

Recesso de fim de ano: conheça os direitos trabalhistas envolvidos

 

como reduzir os custos durante a crisePowered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Faça o download deste conteúdo ao final do post.