Powered by Rock Convert

Com reflexos imediatos na economia, a pandemia do novo coronavírus afetou e continua afetando o mercado, especialmente para micro e pequenas empresas. Muitos empresários estão fazendo um verdadeiro malabarismo para manter as contas em dia, enquanto trabalham com uma extensa lista de custos para rever durante a crise.

Mas decidir o que pode ser eliminado sem prejudicar ainda mais os negócios exige planejamento e análise contábil, para que você conheça seus custos fixos e variáveis e saiba onde é seguro cortar. Negociar contratos, diminuir o estoque, substituir serviços e alterar a carga horária dos funcionários são opções para reduzir gastos nesse momento.

Para lhe ajudar com esse planejamento, listamos a seguir 10 itens onde é possível economizar sem riscos e que podem contribuir para manter sua empresa ativa e financeiramente saudável mesmo em um período de tantas dificuldades. Acompanhe o artigo para descobrir quais são eles.

 

1 – Contratos e aluguel

Com a necessidade de isolamento social, muitas empresas adotaram o modelo home office, mas continuam pagando aluguel dos imóveis onde estão instaladas. Se esse é o seu caso, tente uma conversa franca com o proprietário para negociar o aluguel nesse período, encontrando uma solução interessante para os dois lados. A mesma estratégia pode ser usada em contratos de outros serviços que foram alterados em função da pandemia.

 

2 – Softwares de trabalho

Na hora do checklist de cortes, não esqueça de avaliar os softwares que você utiliza com pagamento mensal. Pode ser que alguns nem estejam sendo usados e, portanto, cancelar as assinaturas, mesmo que por um tempo, é uma forma de reduzir as despesas. Se o serviço for fundamental, como a emissão de NF-e, vale a pena fazer uma pesquisa para encontrar soluções melhores no mercado, analisando o custo-benefício de substituir o emissor.

 

3 – Variedade de produtos

Manter no mercado apenas os produtos que trazem mais lucro para sua empresa é uma forma de economizar com matéria-prima e, consequentemente, com fornecedores. Além disso, em momentos de crise, o poder de compra dos consumidores diminui, então, não vale a pena apostar em muita variedade se as pessoas não estão aptas a consumir.

 

4 – Despesas com pessoal

Apelar para demissões a fim de reduzir gastos é uma tática arriscada. Além de contribuir para aumentar e, consequentemente, prolongar a crise, o corte de pessoal pode levá-lo a desembolsar uma grande quantia com acertos trabalhistas. Para evitar demissões, você pode, por exemplo, negociar uma redução de carga horária proporcional ao salário. Outra opção é reorganizar a estrutura da empresa levando colaboradores de áreas que estão com demanda menor para as que estão exigindo reforço. Ao analisar o perfil de seus funcionários e identificar em quais setores eles seriam mais úteis, você poderá criar uma equipe bem integrada e que vai ajudá-lo a encontrar saídas criativas para o momento difícil da empresa.

 

5 – Taxas e impostos

Taxas bancárias podem ser cortadas sem impactos negativos para sua empresa, por isso, é um dos custos para rever durante a crise. Você pode manter contas em apenas um ou dois bancos e evitar gastos desnecessários. Hoje em dia, há bancos digitais que oferecem isenção de taxas ou cobranças bem abaixo de outras agências do mercado. Junto ao seu contador, você também pode encontrar meios legais de reduzir o volume de impostos a pagar, já que a carga tributária é um dos fatores que pesam no caixa dos empreendedores.

 

6 – Dívidas e empréstimos

Em função da crise gerada pela pandemia, o governo federal concedeu alguns benefícios aos empresários. Para quem é optante do Simples, o imposto foi adiado por seis meses e o prazo para pagar dívidas e empréstimos com bancos foi estendido por 60 dias. Com isso, é possível excluir essas despesas de sua lista, pelo menos temporariamente, para ganhar fôlego até a retomada das atividades normais.

 

7 – Investimentos

Se você tem investimentos financeiros, pode ser uma boa ideia rever sua estratégia para que possa manter uma reserva de emergência. Não é necessário abandonar suas aplicações por completo, mas reduzir os valores investidos é uma forma prática de cortar custos.

E isso não vale apenas para grandes quantias. Aquela reforma na sede da empresa ou até a compra de um equipamento podem esperar se não forem urgentes. Rever suas prioridades, nesse momento, é uma excelente maneira de economizar.

 

8 – Estratégias de marketing

Não caia na armadilha de cortar todas as verbas destinadas à divulgação de sua empresa acreditando que está fazendo um bom negócio. Em períodos de crise, é importante estar visível para o consumidor. Mas você pode fazer um novo planejamento, optando por alternativas de divulgação orgânica, como posts otimizados para buscas no Google, webinars e lives, e impulsionamento de anúncios selecionados. Dessa forma, você mantém a visibilidade de sua marca e consegue engajar seu público sem necessidade de aplicar grandes quantias em marketing.

 

9 – Parceiros e fornecedores

Será que aquele fornecedor com quem você negocia desde que abriu as portas continua sendo a melhor opção do mercado atualmente? Pesquisar e negociar com outras empresas pode ser um processo trabalhoso, mas também pode gerar uma grande economia nesse momento. Por outro lado, se você é um cliente fiel há bastante tempo, sempre há a possibilidade de pechinchar um preço melhor, pelo menos durante a crise.

 

10 – Pequenos gastos

Ao criar seu plano de contenção, não deixe de lado gastos que, a princípio, parecem irrelevantes; no cálculo final, eles podem representar uma boa economia. Instalar sensores nas lâmpadas, por exemplo, mesmo que signifique uma certa despesa, vai ajudar a reduzir a conta de energia elétrica. Da mesma forma, estimular que os colaboradores usem mais aplicativos de conversa pode garantir uma economia com telefone. Encontre outras opções que podem ser otimizadas e busque alternativas para gastar menos.

 

Agora que você viu todas essas sugestões de custos para rever durante a crise, é hora de colocar em prática pelo menos algumas delas, como forma de ganhar fôlego até a retomada da economia. Substituir seu sistema de NF-e e de certificado digital é uma das opções para economizar e a DIGISAN lhe oferece um excelente custo-benefício nessa troca.

Ficou interessado? Então, entre em contato e faça um teste grátis com a DIGISAN para emitir notas fiscais com agilidade e segurança na plataforma mais intuitiva do mercado.

 Leia também:

Como aumentar as vendas durante a crise?

10 dicas para aumentar o faturamento da sua empresa na crise

 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Faça o download deste conteúdo ao final do post.